Lídia Franco no mundo de Degas: “a beleza faz sempre bem à alma”

A propósito do Dia Mundial da Dança, estivemos à conversa com a atriz Lídia Franco que iniciou a sua carreira artística no ballet. A atriz ficou maravilhada com o que viu e, no final, teve direito a uma surpresa muito especial, em jeito de homenagem.

No passado dia 29 de abril celebrou-se o Dia Mundial da Dança e, para o assinalar, a atriz Lídia Franco associou-se à exposição “Edgar Degas. No Mundo do Ballet. Com a participação especial de Paula Rego e Helena de Medeiros”, patente no nosso Centro até 30 de maio. A atriz, que tem na dança a sua grande paixão, fez primeiro uma visita guiada à exposição, sendo depois homenageada com uma atuação surpresa que os bailarinos da EDD – Escola Domus Dança preparam para ela.

Conhecida principalmente pelo seu trabalho como atriz, Lídia Franco começou a sua carreira artística no ballet clássico. Formada na Escola de Ballet do Teatro Nacional de S. Carlos, deu os primeiros passos como bailarina profissional na Companhia Nacional de Bailado. Mais tarde, foi viver para Bruxelas, onde continuou a dançar sobre a direção de Maurice Béjart, no Théatre Royal de la Monnaie, e dançou ainda no Grupo Fernando Pessoa e no Grupo Experimental de Ballet da Fundação Calouste Gulbenkian. Durante o seu percurso como bailarina, recebeu bolsas para estudar dança e teatro em França e Inglaterra.

Ao fim de alguns anos, algumas lesões físicas levaram com que Lídia Franco deixasse a dança e se rendesse à sua outra paixão: o teatro. É assim que desde 1978 a vemos interpretar inúmeros papéis em filmes, telenovelas e peças de teatro.

A maior parte das pessoas conhece a Lídia enquanto atriz, mas a verdade é que a sua carreira começou na dança. Que significado tem o ballet para si?

A dança representa, de facto, a minha verdadeira paixão e, entre muitas outras coisas, deu-me disciplina que, como atriz, também é indispensável.

Qual foi a sua reação quando a convidaram para fazer parte desta exposição?

Fiquei muito lisonjeada porque, no fundo, também me estão a homenagear. Lembraram-se de mim para estar aqui, neste dia tão especial da dança, lembraram-se que eu também fui bailarina e estou completamente maravilhada!

Qual a importância do trabalho de Edgar Degas no universo do ballet?

A contribuição de Edgar Degas é maravilhosa e sublime para dar a conhecer a arte dele, a arte da pintura. Sendo ele também um amante desta outra arte – no fundo as artes estão todas interligadas -, dedicou uma boa parte da sua obra a desenhar e a pintar bailarinas, as célebres bailarinas de Degas. Com a sua arte também contribuiu em muito para a arte do ballet.

Porque é que esta exposição, que se realiza num centro comercial, é importante para divulgar o mundo do ballet, sobretudo a quem não está tão familiarizado com ele?

Eu acho que a importância passa por ser exatamente aqui, num centro comercial. As pessoas podem não estar tão familiarizadas e de repente – creio, aliás, que isso já tem acontecido – ficam maravilhadas com estas imagens. Para se ser bailarino é preciso ter-se mesmo a verdadeira paixão, porque só com ela é possível seguir o trabalho tão árduo que é necessário para tal. E ao olhar-se para estas imagens, ou mesmo ao ver-se certos bailarinos, até é bom que se tenha a ilusão de que é só beleza esvoaçante, mas o que está por detrás disso é dos trabalhos mais duros e árduos que há e que só se consegue ter quando se nasce com essa enorme paixão.

Veja aqui o vídeo com um excerto da entrevista à atriz:

*Atriz Lídia Franco em visita guiada com a embaixadora Isabel Pires de Lima e a curadora Astrid Sauer

 

Se ainda não visitou a exposição “Edgar Degas. No Mundo do Ballet. Com a participação especial de Paula Rego e Helena de Medeiros”, tem até 30 de maio para o fazer, no piso 0. Pode saber todos os detalhes aqui.

Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço