João Tordo: “Hoje sinto que tenho uma voz muito própria”

Quatro mulheres, três cidades, um século. “A Mulher que Correu Atrás do Vento” é o novo romance de João Tordo que nos leva a viver uma poderosa história de amor.

Publicou o seu primeiro romance em 2004 e rapidamente se tornou um dos maiores escritores nacionais que leva a sua escrita além-fronteiras. João Tordo, hoje com 44 anos de idade, tem os seus livros publicados em vários países, incluindo França, Itália, Alemanha, Brasil, Hungria, Espanha, Argentina, México e Uruguai.

“Desde que eu comecei a publicar há 15 anos os meus livros muita coisa mudou. Eu próprio mudei. Os livros que eu escrevo agora muito pouco têm que ver com os livros que publicava com 28 anos. É bom, enquanto escritor, sentir que não fiquei no mesmo lugar. Sinto que hoje tenho uma voz muito própria.”

“A mulher que Correu Atrás do Vento” é o seu décimo segundo romance e acaba de chegar à livraria do nosso Centro.

“Leio todos os dias. Isso é certo. Já o processo de escrita nem sempre é diário. Por ano, guardo sempre cinco meses para me dedicar inteiramente à escrita de um só livro. A rotina de um escritor é muito aborrecida. Só é interessante para quem escreve por estar mergulhado na história e nas personagens.”

E que livro tem neste momento na sua mesinha de cabeceira?

“Neste momento estou a ler a nova obra de Siri Hustvedt chamada “Memories of the Future”. Quanto ao livro que mais me marcou, talvez tenha sido o Moby Dick. É um romance que marca o século XIX. É um dos livros mais emblemáticos, porque além de ser uma narrativa religiosa também mostra aos romancistas que tudo acaba dentro de um romance. No fundo, cabe tudo na minha estante, que é variada. Leio de tudo. Desde policiais, a contemporâneos portugueses. É uma estante multi-géneros.”

Encontre o novo livro de João Tordo na livraria do nosso Centro.

"E, portanto - porque não há lugar para todos neste mundo e alguns têm de viver nas franjas da sociedade, tratados como animais nas ruas das cidades ou abandonados num descampado no Norte da Baviera -, Lia fez o que todos os que eram entregues à sorte faziam na altura: procurou outros como ela." "A Mulher que Correu Atrás do Vento" de João Tordo, 18,80€
“E, portanto – porque não há lugar para todos neste mundo e alguns têm de viver nas franjas da sociedade, tratados como animais nas ruas das cidades ou abandonados num descampado no Norte da Baviera -, Lia fez o que todos os que eram entregues à sorte faziam na altura: procurou outros como ela.”
“A Mulher que Correu Atrás do Vento” de João Tordo, 18,80€
Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço