O fenómeno das peças-fenómeno

Quando, na mesma semana, vi umas três vezes o mesmo casaco amarelo da Zara a passear em contas de Instagram alheias, percebi que estava descoberto o novo fenómeno de vendas. Quando isso acontece, o mundo divide-se entre as mulheres que vão em sprint para a loja mais próxima – na esperança de também conseguirem arrebanhar um modelo só para si – e aquelas que correm exactamente no sentido oposto, porque se o mundo tem, então elas não querem, Deus nos livre e guarde de tamanha heresia estilística.

Quando acontece um fenómeno de vendas como este, o mundo divide-se entre as mulheres que vão em sprint para a loja mais próxima e as que correm no sentido oposto

Pela parte que me toca, estou ali a meio. Vi o casaco em loja e achei-o engraçado, sobretudo pela cor inesperada para um blusão deste género. Era menina para o ter comprado. Mas depois meteu-se a chuva, comecei a acreditar que o bom tempo não chegaria, e pensei que não seria um casaco amarelo a trazer-me o sol. E, claro, tê-lo visto em mais 87 pessoas também não ajudou. Por isso deixei-o lá estar.

É engraçada esta coisa das peças-fenómeno. Ponho-me sempre a pensar o que é que dará com que uma coisa venda milhões e outra não venda nada. Eu acho que parte muito do processo de imitação. Vê-se a peça em alguém que achamos ter pinta (uma atriz, uma blogger, a prima ou vizinha) e achamos que se a comprarmos terá o mesmo efeito em nós. Não é uma ciência exata, numas vezes corre bem, noutras nem tanto. Ou seja, já vi o dito casaco amarelo em conjugações fantásticas, e já vi o dito casaco amarelo em conjugações ao melhor nível palhaço-estagiário-do-Chapitô.

Mas bom, o que é verdade é que os perfectos (o nome técnico para estes blusões meio punk, meio motard) entraram por esta Primavera em grande, com cores mais arrojadas. E eu adoro, acho que são das peças mais versáteis que por aí andam, adaptam-se a uma data de estilos, do mais girly ao mais rockeiro, e são um belíssimo investimento. Vale muito a pena ter um preto, assim de melhor qualidade e que dure, e dure, e dure. Mas se estão mais voltadas para as cores, aqui ficam mais alguns.

Carregue na imagem para ver as sugestões.

Partilhar