Salvador Sobral

O amor de todos por Salvador Sobral

Não conquistou, desde logo, o coração dos portugueses. Mas chegou a Kiev e, com o tema “Amar Pelos Dois”, da autoria da irmã, Luísa Sobral, amou por todos nós e trouxe para o país o primeiro prémio da Eurovisão.

“Não sou o novo herói nacional. Esse papel é do Ronaldo e espero que assim continue.”

Foi com estas palavras que Salvador Sobral reagiu ao mar de gente que tinha à sua espera à chegada ao aeroporto de Lisboa. Se algum dia alguém perguntar como é que vencemos a Eurovisão, talvez a resposta tenha de ser marcada pela mesma simplicidade, honestidade e humildade com que o músico reagiu aos fãs e nos representou no palco, em Kiev, para cantar “Amar Pelos Dois“.

Coincidências à parte, no ano em que Salvador Sobral nasceu (1989), Da Vinci cantavam “Conquistador” na Eurovisão e em 1999, ano em que o jovem concorreu pela primeira vez a um programa de talentos (“Bravo Bravíssimo”) a cantar Rui Veloso, Portugal foi representado no festival por Rui Bandeira com a música “Como Tudo Começou”.

E começou mesmo. Salvador Sobral voltou a aparecer na televisão nacional no programa “Ídolos”, dez anos mais tarde, em 2009, no qual foi finalista. De Portugal para todo o mundo, o jovem ainda chegou a estudar Psicologia, mas depressa se rendeu à música, em Inglaterra e Espanha, onde cantava sobretudo em bares de hotel e na rua, afirmando cada vez mais o jazz como seu estilo de eleição.

No regresso a Portugal, Salvador começa a preparar o primeiro álbum. “Excuse Me” chegou às lojas em 2016, apresentando a essência freestyle do músico. Entre as faixas, com Júlio Resende no piano, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria, destaque para a single escrito pela irmã, “I Might Just Stay Away”. Todo o disco é acompanhado por Júlio Resende – que coproduzido o álbum – no piano, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria.

Foi justamente de braço dado com a irmã que Salvador Sobral chegou à Eurovisão. O jovem, que entretanto assumiu nunca ter assistido ao concurso, surpreendeu tudo e todos com a simplicidade e a interpretação de “Amar Pelos Dois”, escrito por Luísa Sobral. E, à medida que a final se aproximava, o tema português ia somando fãs e galgando lugares na bolsa de apostas da Eurovisão.

No dia 13, depois de ter ultrapassado a primeira eliminatória, Salvador Sobral subiu novamente ao palco, em Kiev, sem bailarinos ou efeitos especiais. Em português, o músico já sabia que não se ama sozinho e conseguiu mostrar isso mesmo, encantando milhares de pessoas e recolhendo a pontuação história de 758 pontos. Nunca Portugal recebeu tantos “12 pontos”.

Já vitorioso, e com a mesma honestidade, Salvador Sobral subiu ao palco para afirmar que “a música não é fogo-de-artificio, é sentimento”, e cantar uma vez mais “Amar Pelos Dois”, desta vez partilhando o palco com a irmã.

Este vídeo já ultrapassou 1 milhão e 200 mil visualizações no Youtube. Já o vídeo oficial do tema está prestes a atingir dez milhões de visualizações. Sucesso que se está a refletir também na agenda de Salvador Sobral. O músico tem praticamente todos os concertos agendados já esgotados.

Outras notícias

Artigos Relacionados
780x585
Próxima paragem: férias!

Próxima paragem: férias!

O verão está quase aí e ainda não sabe para onde vai de férias? Não há problema. Fomos à procura das melhores soluções para uns dias de descanso total. Mas as boas notícias não ficam por aqui: há descontos (e muitos!)
Festa do cinema
Cinema a 2,5€. Todas as salas. Todos os filmes.

Cinema a 2,5€. Todas as salas. Todos os filmes.

Preparado para mais uma edição da Festa do Cinema? Junte-se a esta celebração da sétima arte!
Judite Sousa
Judite de Sousa lança livro sobre a doença mental

Judite de Sousa lança livro sobre a doença mental

No passado dia 9 de maio, a Fnac do Colombo recebeu o lançamento do livro “Pensar, Sentir, Viver” sobre saúde mental, com perguntas da jornalista Judite de Sousa e respostas do psiquiatra Diogo Telles Correia.
fatima_780x585
“Fátima” chega às salas de cinema

“Fátima” chega às salas de cinema

No ano em que se comemora o centenário das aparições da Virgem Maria aos três pastorinhos e a menos de um mês da visita do Papa Francisco, chega às salas de cinema “Fátima”, de João Canijo. Uma viagem de 11 mulheres rumo à fé.